;
19/02/2016
Publicidade

O começo e os recomeços dos Chili Peppers


Três anos atrás, às 9h de um dia qualquer, Sérgio Lemes e eu apresentávamos o programa 'Rádio Show History: Especial Red Hot Chili Peppers', recontando ao vivo os trinta anos da história de sucesso do RHCP, grupo americano, originalmente de rock, com influências de punk, funk, rap, trash metal e rock psicodélico, formado em 1983, em Los Angeles, Califórnia.

Escrevi, produzi e locutei o especial transmitido pela Rádio Show 87.5 FM. A audiência foi relativamente boa e a crítica foi tendenciosamente favorável. A autocrítica nem tanto. Além das escorregadas, minha voz continua me incomodando. Pelo menos, segundo o locutor Sérgio Lemes, meu modo de apresentar lembra o de Terence Machado, apresentador do Alto-Falante, da Rede Minas.

Capturamos o áudio que embedei aqui, com direito a tudo: alguns erros, um break comercial e outras gasturas. Por outro lado, tudo deu certo na parte técnica, conduzida pelos sonoplastas Carlo Minucci e Emerson Santos. A voz das vinhetas é do jornalista Lucas Vilela, um dos criadores do site About Music.

Reproduzo abaixo pedaços da pesquisa que originou o livro-objeto deste trabalho e trouxe detalhes sobre a trajetória do grupo, tomando como referência a história de ousadia e união dos fundadores Anthony Kiedis, vocalista, e Michael 'Flea' Balzary, baixista.

Ouça o especial e acesse o menu.


1. Resumo
Nossa abordagem procurou privilegiar a inserção de Anthony Kiedis e Flea no cenário musical, do início underground ao estrelato consagrado por premiações, passando pelas experimentações musicais que findaram no funk metal característico do grupo, sem esquecer-se dos contratempos superados pela dupla nas inúmeras formações da banda. A programação musical também buscou destacar os hits do gênero funk metal, que foram dispostos na programação de maneira cronológica. A playlist contou com oito sucessos de curta duração, praticamente um para cada álbum de estúdio, salvo o disco One Hot Minute, que ficou de fora do repertório por não apresentar o estilo dos demais e 'I'm With You', último álbum lançado, representado por um trecho de 'Did I Let You Know', canção lançada como single exclusivo do Brasil.

2. Fotos
O RHCP em sua primeira formação: Anthony Kiedis, Hillel Slovak, Flea e Jack Irons. Nels Israelson
O "desajeitado" Chad Smith, um dos cem melhores bateristas do mundo. Tony Woolliscroft

A menos apimentada das gerações do Red Hot. Prudence Cuming Associates
O sempre performático Anthony Kiedis. Danny Clinch
Flea - do trompete da banda da escola ao contrabaixo do maior grupo da Califórnia. Thomas Samson

3. Álbuns de estúdio
The Red Hot Chili Peppers (1984)The Red Hot Chili Peppers foi lançado pela EMI e contou com a participação do guitarrista Jack Sherman, duas parcerias problemáticas. Hillel Slovak e Jack Irons ficaram de fora, pois já tinham contratos com a MCA Records. O disco não repetiu o êxito da banda na cena underground.

Freaky Styley (1985)Os ares campestres da fazenda do produtor George Clinton, onde o disco foi gravado, fizeram bem à banda. Ao contrário do primeiro álbum, Freaky Styley foi um sucesso de crítica e possibilitou ao grupo o ingresso nos palcos europeus.

The Uplift Mofo Party Plan (1987)O mais conturbado trabalho dos Peppers criou um estilo - misto de funk metal e hard rock – e superou os anteriores, atingindo a posição 148 no ranking Billboard 200, mas foi dificultado por diversos problemas, como a dependência de Anthony Kiedis e a morte de Hillel Slovak.

Mother's Milk (1989)Apesar de ter a venda recusada em várias cadeias nacionais por exibir nudez, 'Mother's Milk' alcançou a posição de número 52 no ranking Billboard 200. Destaques para a nova formação, com John Frusciante e Chad Smith, e para as faixas 'Higher Ground' e 'Knock Me Down'.

Blood Sugar Sex Magik (1991)Marco na história do rock alternativo, Blood Sugar Sex Magik vendeu mais de 13 milhões de cópias em todo o mundo e recebeu sete discos de platina. A obra também alcançou o terceiro lugar no ranking Billboard 200 e está na lista dos 200 álbuns definitivos do Rock and Roll Hall of Fame.

One Hot Minute (1995)Reflexo do retorno de Anthony Kiedis ao vício em cocaína e heroína e da substituição de Frusciante por Dave Navarro, o disco teve sua sonoridade afetada. Mesmo gerando três singles e alcançando o quarto lugar na parada da Billboard, vendeu menos da metade que Blood Sugar Sex Magik.

Californication (1999)Álbum de maior sucesso do RHCP, alcançou a terceira posição da Billboard 200 e vendeu mais de 16 milhões de cópias. As letras polêmicas e a volta de Frusciante foram determinantes para a criação de hits como 'Otherside', 'Californication' e 'Scar Tissue', ganhadora do Grammy.

By the Way (2002)Reconhecido pelas canções melódicas e suaves, By The Way vendeu 1 milhão e 800 mil cópias em sua primeira semana. Apesar das drogas continuarem presentes nas letras, 'By the Way', 'I Could Die for You', 'Dosed' e 'Warm Tape' foram compostas em nome do amor.

Stadium Arcadium (2006)Primeiro álbum duplo, com 28 faixas, Stadium Arcadium foi o disco mais vendido de 2006 e venceu quatro Grammys no ano seguinte, dois deles por 'Dani California': Melhor Performance de Rock em Dupla ou GrupoMelhor Canção de Rock.

I'm With You (2011)Com Josh Klinghoffer atuando no lugar de John Frusciante, o décimo álbum do quarteto estreou em 2º lugar no Top 200 da Billboard e vendeu quase 250 mil cópias na primeira semana nos EUA. Destaques para as faixas 'The Adventures of Raindance Maggie' e 'Monarchy of Roses'.

4. Shows marcantes
Woodstock '94 (1994)O RHCP foi um dos últimos grupos a se apresentar na edição comemorativa do festival Woodstock, em Saugerties, Nova Iorque, Estados Unidos. O show marcou a estreia de Dave Navarro nos palcos e ficou lembrado pela extravagante fantasia de lâmpadas que os Peppers vestiam.

Red Square (1999)Num show gratuito para mais de 200 mil pessoas, na Red Square, praça de Moscou, Rússia, os Peppers iniciaram a turnê europeia de Californication e inauguraram a MTV russa. O grupo precisou de escolta policial para chegar até o palco e John Frusciante ficou paranoico com um possível sequestro.

Rock In Rio 3 (2001)A passagem dos Peppers pelo festival foi inesquecível. O Red Hot Chili Peppers encerrou o Rock In Rio 3, na Cidade do Rock, Rio de Janeiro, para 250 mil espectadores. O maior público da banda festejou hits como 'Give It Away' e 'Me & My Friends', e acompanhou 'Under the Bridge' em coro.

Slane Castle (2003)Mais de 60 mil pessoas lotaram o anfiteatro do castelo medieval de Boyne Valley of County Meath, Irlanda, para a gravação de Live at Slane Castle, o primeiro DVD a partir de um único show. As cenas foram montadas para criar o efeito bullet-time, popularizado em 'Matrix'.

Hyde Park (2004)Os três shows no Hyde Park, parque real londrino, foram compilados em um álbum duplo - o primeiro ao vivo. O repertório contou com hits de grandes discos comerciais: Californication, Blood Sugar Sex Magik e By the Way. Cerca de 250 mil ingressos foram vendidos em quatro horas.

5. Considerações finais
A autobiografia de Anthony Kiedis, 'Scar Tissue', nos proveu material biográfico suficiente até o ano 2004, quando o livro foi lançado. Através dessa obra, pudemos determinar o fio mediador de nossa lauda: as vidas de Anthony e Flea, fundadores do Red Hot Chili Peppers.

Os trechos referentes aos últimos sete anos, de 2004 a 2011, ano de lançamento do último CD, foram montados após pesquisas em artigos, entrevistas, tópicos e matérias de fóruns e blogs. Nem todos serviram para a criação do texto, mas foram determinantes na escolha e descrições das músicas.

A programação musical buscou contemplar todos os álbuns com pelo menos uma canção. De certa maneira, todos foram inseridos no repertório musical do especial. Infelizmente, tivemos que deixar um deles de fora da playlist. Eram dez álbuns ao total, mas só podíamos escolher oito músicas, quatro por bloco. Sendo assim, decidimos retirar da lista One Hot Minute, álbum mais controverso do grupo, representando-o apenas em texto e por um background derivado de 'Aeroplane'. I'm With You, por sua vez, foi representado por um pequeno trecho da brasileiríssima 'Did I Let You Know'.

Acompanhando a ordem cronológica do texto, a playlist procurou também reunir as canções do gênero funk metal. Nossa triagem levou alguns parâmetros em consideração: ritmo, proeminência, duração e contexto histórico. Este último foi o único parâmetro determinante, visto que a canção deveria acompanhar a época descrita no texto.

Dividimos as músicas em dois blocos. O primeiro recebeu quase treze minutos de música. O segundo teve um pouco mais, cerca de quinze minutos. Somamos o tempo ocupado por vinhetas ao intervalo para quantificar o tempo restante para o conteúdo de fala. Sendo assim, dividimos o resultado em partes de igual duração para que o texto adquirisse uma unidade, sem parecer curto ou longo.

A escolha dos backgrounds seguiu lógica parecida àquela exercida para a programação musical. Deveríamos criar cinco trilhas de BG. Criamos uma para cada década, dos anos 80 aos 2010, e outra para representar a fase negra do grupo, vivida em One Hot Minute. Todas oriundas de canções do Red Hot Chili Peppers, vinculadas com o período em questão.

Durante a execução deste trabalho, nos sentimos triplamente desafiados. E a tríade de desafios incluía: despertar o interesse de ouvintes que já conhecem os Peppers, esclarecer quem são os californianos para os demais ouvintes e criar um texto original, que fosse documental como o texto noticioso, mas jovial como público a que é destinado.
  
© Copyright 2015 Blog do Tejota Tema: Themexpose